Suzuki Ignis: O mais divertido da turma!

É giro e original! Conheça o novo crossover compacto da Suzuki que chega este mês a Portugal.

O novo Ignis é um pequeno crossover compacto que não deixa ninguém indiferente ao primeiro olhar! Que agradável surpresa! O Digital Motores viajou até Madrid para conhecer o modelo que foi apresentado pela primeira vez na última edição do Salão Automóvel de Paris.

O novo SUV compacto da Suzuki, destaca-se pelo seu estilo exterior moderno. Formas, curvas e linhas simples, estilo jovem. O habitáculo é espaçoso para um automóvel que tem como principais rivais modelos como o Fiat Panda, Opel Adam, Renault Twingo, Fiat 500, VW Up!, entre outros. O Ignis conta com 3.700 mm de comprimento e 1.690 mm de largura.  O seu design tem tudo para se torna icónico! Quem não se recorda do Suzuki Jimny que ainda hoje é bastante procurado no mercado de usados.

Na produção do Ignis foi utilizado uma maior percentagem de aço leve, mas de elevada tensão e resistência. Foi desenvolvido sob a nova plataforma da marca, utilizada em outros modelos como o Suzuki Baleno.

Posição de condução mais alta transmite tranquilidade

Os primeiros quilómetros ao volante do Ignis foram realizados nos arredores da capital espanhola.  Primeiro conduzimos o carro com o motor 1.2 a gasolina DUAL JET que se portou bastante bem durante o percurso de cerca de 100 quilómetros, dividido entre estradas nacionais, autoestrada e o centro de Madrid.

A posição de condução ligeiramente mais elevada permite uma boa visibilidade perante a estrada. O Ignis é agradável de conduzir e apenas quando circulamos em estradas com o piso mais degradado ou passamos por cima de uma lomba é que sentimos nas costas a maior rigidez da suspensão, em particular para quem viaja nos lugares traseiros. Nada de grave! Gostei bastante da forma direta como a direção comunica com quem conduz o pequeno SUV da Suzuki. O novo modelo da marca japonesa tem 180 mm de altura ao solo e um ângulo dianteiro de 20 graus na dianteira e 38,3 graus na traseira. A altura ao solo é mais elevada do que a de um Fiat Panda, por exemplo, o que permite conduzir em terra batida com enorme à vontade. O ESP (controlo eletrónico de estabilidade) é de série em todas as versões. O motor de 1.2 a gasolina fez consumos médios muito interessantes de 4,6 litros de média. É certo que o carro é leve (pesa 866 kg) e o motor não é feiro para grandes corridas mas, para uma utilização diária, chega e sobra! O Ignis está equipado com o motor gasolina 1.2 DUALJET de 90 CV e adicionalmente pode-se combinar com o sistema híbrido SHVS (Smart Hybrid Vehicle), que fornece 4 CV extra e que permite uma eficiência de consumo de gasolina superior. Esta tecnologia baseia-se numa bateria extra de 3kWh de capacidade e de um dispositivo elétrico que apoia o motor a gasolina de acordo com a necessidades de aceleração. O carregamento da bateria é feito com a energia que se produz na desaceleração do motor e na travagem. Embora o sistema SHVS só se possa combinar com a tração 4×2 o motor 1.2 DUALJET disponibiliza também o sistema 4×4 ALLGRIP AUTO da Suzuki que distribui automaticamente o binário às rodas dianteiras e traseiras quando deteta que as rodas dianteiras perderam tração. O sistema de controlo de descidas de pendentes até 10 km/h é de série nas versões 4WD.

O novo Ignis disponibiliza caixa manual de cinco velocidades em toda a gama, podendo optar na versão 4×2 DUALJET pela caixa automática de cinco velocidades AGS (Auto Gear Shift). A condução do Suzuki Ignis está permanentemente vigiada por duas câmaras que controlam a distância entre o veículo e outros objetos e fazem a leitura das linhas da faixa de rodagem (sistema de série com o nível de equipamento GLX). O sistema de segurança analisa a forma dos objetos para reconhecer se se trata de outros veículos ou de peões. Deste modo o sistema pode exercer três funções: Dual Camera Brake Support (DCBS), quer dizer, a assistência à travagem por meio de ambas as câmaras, aviso de saída de faixa e alerta de ziguezagueio.

Interior jovem e funcional

No interior encontramos um design moderno e um habitáculo espaçoso. O painel de instrumentos do Suzuki Ignis incorpora um écran táctil de 7 polegadas que inclui áudio com função de navegação, herdado de modelos como o Vitara e o S-Cross. O sistema dispõe de sistemas de conetividade (Android Auto, CarPlay e Mirror Link). Os bancos traseiros são deslizantes e permitem um movimento entre calhas de 165 mm.  Referência, ainda, no interior, para a capacidade da bagageira que no formato base chega aos 260 litros de capacidade mas que pode atingir os 373 litros com os bancos rebatidos.

A gama Ignis disponibiliza dois níveis de equipamento, GLE e GLX. Ambas as versões se destacam pelo bom nível de equipamento de série para este tipo de automóveis. Na versão de acesso à gama, GLE, de realçar o computador de bordo, os bancos dianteiros aquecidos e écran táctil, que inclui câmara de visão traseira. A versão GLX acrescenta faróis de LED, sistema de navegação, controlo de velocidade com limitador, ar condicionado automático e arranque sem chave.

A gama Suzuki Ignis inicia o seu posicionamento de preços nos 12.820 euros, valor sem despesas e pintura metalizada, versão 1.2 Dualjet 2WD GLE, e tem o início de comercialização previsto para este mês de abril.

Texto: L.Cáceres Monteiro

L. Cáceres Monteiro

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *