Conheça o novo Citroën C5 Aircross

Recorda-se da famosa suspensão dos modelos GS e DS? Lembra-se da suspensão do 2 CV e da Dyane? A Citroën está determinada em provar que a tradição ainda é o que era!

A Citroën desvendou no Salão Automóvel de Xangai o C5 Aircross, entretanto já foram vendidas 35.000 unidades.

O novo modelo aposta no design original e robusto, no espaço interior amplo, e, claro, no conforto de todos os que viajam a bordo.

O C5 Aircross marca o início de etapa importante no programa Citroën Advanced Comfort, com a introdução, em estreia mundial, da suspensão “Progressive Hydraulic Cushions (Amortecedores Hidráulicos Progressivos) que os engenheiros da marca garantem honrar o conhecido conforto típico da marca francesa, melhorando a filtragem em diferentes tipos de piso.

O seu princípio de funcionamento é simples: enquanto uma suspensão clássica é composta por um amortecedor, uma mola e um batente/limitador mecânico, o novo sistema adiciona dois batentes/limitadores hidráulicos, um de expansão e outro de compressão, de ambos os lados.

Efeito tapete voador

A suspensão trabalha, assim, em duas fases, de acordo com as solicitações. Em compressões e expansões ligeiras, a mola e o amortecedor controlam, em conjunto, os movimentos verticais sem precisar de solicitar os batentes hidráulicos. Contudo, a existência destes últimos permitiu aos engenheiros proporcionar um maior grau de liberdade ao curso da suspensão do veículo, o que lhe confere, de acordo com as informações disponibilizadas pela Citroën, um efeito tipo”tapete voador”.

Em compressões e expansões mais significativas, a mola e o amortecedor trabalham em conjunto com os batentes hidráulicos de compressão ou expansão, que desaceleram o movimento de forma progressiva, evitando, assim, o bater brusco quando os elementos elásticos atingem o seu curso. Contrariamente aos limitadores mecânicos clássicos, que absorvem a energia, para depois a restituírem em parte, os novos batentes hidráulicos absorvem e dissipam essa energia. Não existe, portanto, o fenómeno de recuperação ou ressalto.

Após o C-Aircross Concept, apresentado no Salão Automóvel de Genebra 2017, estudo que prefigura o futuro SUV C3 Aircross, a comercializar na Europa no final deste ano, a Citroën prossegue a sua ofensiva mundial neste segmento com a apresentação, em estreia mundial, do C5 Aircross.

O seu estilo exterior robusto e musculado é sustentado pelo capot elevado. A distância entre eixos é de 2,73 metros. A abertura do portão da bagageira é elétrica e com sistema mãos livres, bastando passar o pé sob o para-choques traseiro para ativar a sua abertura. Com uma abertura ampla e larga tem uma capacidade de 482 litros. O novo modelo recorre à plataforma EMP2. Dispõe de uma gama de jantes de 17’’, 18’’ e 19 polegadas. O equipamento de segurança e conforto promete. Deixamos alguns destaques tendo como base a primeira informação que recebemos. O teto de abrir pode ser abrir panorâmico, os bancos dianteiros com aquecimento e massagem e aos bancos traseiros com muito espaço para as pernas. Equipado com um painel de instrumentos digital TFT com 12,3 polegadas, e com ecrã tátil capacitivo de 8 polegadas HD, o C5 Aircross propõe um conjunto de sistemas de ajuda à condução: Active Safety Brake, Sistema ativo vigilância do ângulo morto, Regulador de velocidade adaptativo com função Stop, etc. Dotado das funções Grip Control e Hill Assist Descent Control. O C5 Aircross será o primeiro modelo Citroën equipado com a tecnologia Plug-in Híbrido PHEV. Este conjunto propulsor, composto por um motor térmico de 200 CV e dois motores elétricos (um à frente e um atrás), desenvolve uma potência total de 300 CV.

Estão disponíveis quatro modos de utilização: 100% elétrico (garantindo uma autonomia até 60 km), híbrido para as grandes distâncias sem recarga, combinado e 4X4.

O novo SUV chega à Europa no final de 2018.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *